MGLU3 
R$11,45  7,96%  
PETR4 
R$35,82  2,41%  
VALE3 
R$60,14  1,38%  
BBAS3 
R$26,54  2,05%  
ITUB4 
R$31,50  0,16%  
BBDC4 
R$12,69  1,86%  
ABEV3 
R$11,27  1,14%  
USIM5 
R$7,05  1,12%  
TAEE11 
R$33,42  1,10%  
WEGE3 
R$38,07  0,71%  

CDB ou Tesouro Direto – O que rende mais?

O que rende mais - Tesouro Direto ou CDB?
Descubra as vantagens e riscos do Tesouro Direto e CDBs neste guia completo. Comparamos rentabilidade, prazos e oferecemos insights para ajudar você a tomar suas decisões de investimento.

Sempre é importante buscar a maneira mais inteligente e eficiente para investir o seu dinheiro. Porém entre o Tesouro Direto ou CDB (Certificados de Depósito Bancário), você sabe o que rende mais? Sabemos que esses dois investimentos são extremamente populares no Brasil e por conta disso vamos destacar para você as vantagens, os diferentes tipos de rentabilidade, prazos e os riscos de cada investimento.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa do governo brasileiro que permite que você compre títulos públicos diretamente, de forma simples e segura. Além disso, uma das principais vantagens do Tesouro Direto é a sua acessibilidade, pois é possível investir com valores a partir de R$30.

Por fim, existem diferentes tipos de títulos disponíveis, como Tesouro Selic, Tesouro IPCA+, Tesouro Prefixado e o Tesouro Renda+ cada um com suas próprias características de rentabilidade.

Tesouro Selic

É o título do Tesouro Direto conhecido por sua liquidez diária (você pode resgatar a qualquer momento) e por possuir rentabilidade pós-fixada (atrelada a Taxa Selic). Portanto, pode ser uma opção interessante para você que deseja construir sua reserva de emergência e se beneficiar do eventual aumento da Selic.

Tesouro IPCA

É um título híbrido, com parte da rentabilidade indexada à inflação (Taxa IPCA) e outra parte pré-fixada. Deste modo, caso você deseje investir para se proteger contra a inflação, esse título pode ser uma boa opção. Além disso, você pode se beneficiar caso a inflação aumente, obtendo um retorno bruto maior do que o previsto no momento da aplicação.

Tesouro Prefixado

É um título pré-fixado, ou seja, a sua rentabilidade é definida no momento do seu investimento. Por conta dessa característica, pode ser uma opção interessante caso você queira previsibilidade sobre o seu retorno. Porém, caso a taxa Selic ou IPCA venha a subir, você pode ter deixado dinheiro na mesa.

Tesouro Renda+

Esse é o título mais recente criado pelo Tesouro Direto. O Tesouro Renda+ se refere a um título pós fixado que tem a sua rentabilidade composta do mesmo modo do Tesouro IPCA (Taxa IPCA + Taxa Fixa). Porém a diferença entre eles está no momento do resgate, onde o Tesouro Renda+ irá lhe pagar em 240 parcelas mensais (20 anos) a partir da “data de conversão”.

Ou seja, caso você invista o seu dinheiro no Tesouro Renda+ 2040, receberá o valor aplicado + rendimentos em 240 parcelas a partir de 2040.

CDB (Certificado de Depósito Bancário)

Os CDBs são títulos emitidos por bancos para captar recursos. Além disso, eles oferecem a você a possibilidade de escolher entre taxas pré e pós fixadas.

Existem diversas vantagens em investir em CDBs, como:

Diferentes prazos

Os CDBs oferecem prazos variados, podendo ser um investimento de curto, médio ou longo prazo. Desse modo, é possível que você escolha o investimento que melhor se adapte aos seus objetivos financeiros.

No entanto, não são comuns CDBs com liquidez diária, sendo necessário aguardar o prazo de vencimento acordado na contratação.

Fundo Garantidor de Créditos (FGC)

Os CDBs são garantidos pelo FGC até o valor de R$250.000 por CPF e por instituição financeira. Essa garantia traz segurança ao investidor em caso de falência ou intervenção do banco.

Tesouro Direto ou CDB – o que rende mais?

Essa resposta irá depender do momento em que você estiver investindo. Como se tratam de investimentos que variam de acordo com indexadores diferentes (taxa Selic, IPCA ou taxas pré-fixados), você precisará analisar qual lhe apresenta a melhor taxa no momento da aplicação.

Como ambos (Tesouro Direto e CDB) possuem a incidência de IR sobre os rendimentos (tabela regressiva), não há uma vantagem para nenhum dos lados nesse aspecto. Portanto vale a pena você comparar a taxa oferecida, podendo ser interessante escolher a maior.

Você também tem a possibilidade de diversificar seu capital, investindo parte no Tesouro Direto para obter os benefícios da liquidez diária e parte no CDB, podendo obter uma melhor taxa a longo prazo.

Riscos do Tesouro Direto e CDB

É importante lembrar que todo investimento possui riscos e, antes de investir, é essencial compreendê-los. No caso do Tesouro Direto, o risco está associado à possibilidade de variação nos preços dos títulos e das taxas Selic e IPCA (caso elas sejam reduzidas).

Já no caso dos CDBs, o risco está relacionado à solvência da instituição financeira que emitiu o título. Portanto, é sempre recomendado avaliar a solidez e reputação da instituição antes de investir seu dinheiro.

Em resumo, tanto o Tesouro Direto quanto os CDBs possuem vantagens e riscos específicos. Desse modo, a escolha entre os dois vai depender do seu perfil de investidor, objetivos financeiros e horizonte de tempo.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
Picture of Felipe Mourão

Felipe Mourão

Felipe Mourão é engenheiro graduado pela USF, apaixonado pelo mercado financeiro e conhecimento. Atualmente, assina textos no A Sua Renda.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Você pode Gostar

Você precisa saber!

Cotações - Ações

CMIG4
2,64%
R$9,97
CSMG3
0,72%
R$19,31
CPFE3
1,09%
R$32,66
EGIE3
0,28%
R$43,47
EQTL3
0,75%
R$29,03
SAPR4
1,99%
R$5,41
TAEE3
0,54%
R$11,10
FLRY3
1,31%
R$14,29
RADL3
1,32%
R$24,74
PETR3
2,10%
R$37,51
PETR4
2,41%
R$35,82
GGBR4
0,70%
R$17,37
RANI3
0,84%
R$8,26
KLBN4
0,49%
R$4,05
SUZB3
0,16%
R$49,00
VALE3
1,38%
R$60,14
ITUB4
0,16%
R$31,50
ITSA4
0,92%
R$9,67
ABEV3
1,14%
R$11,27
BRFS3
1,16%
R$18,78
JBSS3
1,08%
R$29,19
EMBR3
2,99%
R$39,97
GOLL4
1,83%
R$1,07
AZUL4
2,62%
R$9,30

Categorias

plugins premium WordPress